adoção de animais em Curitiba
 
PROBEM

Associação de Proteção e Bem Estar Animal

ANIMAIS

Adoção, achados e perdidos, SOS Animais

FIQUE LIGADO!

Fique por dentro dos eventos realizados pela PROBEM


PROJETOS

Conheça nossos sonhos e participe de nossa realidade

COMO AJUDAR

Há muitas maneiras de ajudar, saiba qual delas é a melhor para você

PARCEIROS

Aqui tem amigos pra toda hora, CONHEÇA-OS

FALE CONOSCO

Interesse em adoção, oferta de ajuda ou interesse em parceria, entre em contato

OUTROS LINKS

Ongs e órgãos relacionados à proteção animal

A Importância da Castração

 

A população de Curitiba convive com um número elevado de cães errantes. Estima-se que o município tenha em torno de 180.000 mil cães, em média um animal para cada 10 habitantes, conforme relação recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Esta estimativa é sem considerar a Região Metropolitana de Curitiba que tem aproximadamente 3.200.000 habitantes (IBGE, 2007).

 

A captura e o extermínio de pequenos animais (cães e gatos) abandonados não representam um método efetivo de controle populacional, não atingindo a causa principal: a procriação sem limites. O recolhimento e a eutanásia, como únicos meios, também vêm sendo duramente criticados por entidades ligadas ao bem estar animal. O controle de zoonoses em centros urbanos só é possível por meio de um programa consciente de controle e redução da superpopulação canina e felina. A esterilização cirúrgica ainda é o melhor método sendo definitivo e seguro, evitando os riscos de patologias decorrentes da utilização de medicação anticoncepcional.

As cenas mais deprimentes no meio urbano são os animais errantes com idade avançada e/ou com problemas de saúde perambulado nas ruas em busca de alimento, conseqüente do abandono pela população. Muitos destes casos de abandonos são decorrentes do acometimento do animal de patologias ligadas ao sistema reprodutivo (tumor de mama e infecções uterinas) de custos relativamente elevados para tratamento médico veterinário.

Um programa de controle populacional planejado, além de reduzir o abandono de animais, de um modo geral, reduzirá os casos de abandono de animais idosos, portadores de patologias como o tumor de mama e a piometra.

Problemas de Saúde

Os freqüentes casos de resgate de animais portadores das patologias acima referidas motivaram o esclarecimento da população que tem constantemente indagado quanto aos fatores que possam propiciar a ocorrência de tumor de mama e de piometra em cães e gatos.

Tumores de mama (neoplasias)
As neoplasias mamárias correspondem a cerca de 50% dos tumores das cadelas. São detectados em animais de meia idade a velhos, sem predisposição racial. A transformação neoplásica é multifatorial. O desenvolvimento de neoplasia mamária na cadela é dependente, em grande parte, de hormônios. A incidência de tumor de mama é de 0,5% com a castração antes do primeiro cio, 8% após o primeiro ciclo estral e 26% após dois ou mais ciclos, até os dois primeiros anos. Cerca de 50% dos tumores mamários de cadelas são malignos, com uma variação de 36 a 91,4% de malignidade. Entre os malignos, a maioria é de carcinomas. O tipo histológico é o principal fator no prognóstico para os tumores de mama. Entre as cadelas com tumor de mama benigno, 26% desenvolvem, mais tarde, tumor em outra glândula. Cadelas com vários nódulos podem apresentar tumores benignos e malignos concomitantemente. As pseudocieses, ou falsa gestação, aumentam a chance de desenvolvimento de tumor de mama. O uso de anticoncepcionais à base de progestágenos tem sido associado com um pequeno aumento de tumores de mama. Apesar de nos tumores de mama em cadelas serem mais freqüentes as neoplasias, existem controvérsias sobre os fatores que influenciam o seu desenvolvimento.
O diagnóstico e o tratamento precoce podem salvar ou prolongar a vida de um animal com câncer. O tratamento pode ser a remoção cirúrgica e/ou quimioterapia.

Piometra
A piometra (pio-pus metra-útero) é uma infecção do útero. Esta patologia uterina constitui o estágio final do complexo hiperplasia endometrial cística. É mais freqüente em fêmeas adultas, com mais de 5 anos de idade e não castradas. Alguns estudos defendem que a piometra ocorre com uma freqüência 3 vezes superior em cadelas do que em gatas. A administração de anticoncepcionais (prostágenos) aumenta substancialmente o risco de piometra.
O endométrio (mucosa que reveste a cavidade uterina) apresenta uma sensibilidade exagerada a progesterona. O hormônio progesterona é um hormônio feminino responsável pela manutenção da gestação. É produzida em grandes concentrações estando a fêmea gestante ou não e circula no sangue durante 45 a 75 dias após o cio. O hormônio progesterona aumenta o risco de infecção bacteriana em úteros não gestantes. A Escherichia coli é a bactéria mais comum nas infecções uterinas.
Existem dois tipos de piometra: piometra: aberta e piometra fechada. A piometra aberta é acompanhada de corrimento vaginal purulento ou sanguinolento, constante ou intermitente e com muito mau odor. Na piometra fechada, o cérvix impossibilita a passagem do conteúdo uterino, não apresentando qualquer tipo de corrimento tornando-se uma situação mais grave, visto que os donos não identificam o problema numa fase precoce do seu desenvolvimento. As fêmeas com piometra fechada podem ficar gravemente doentes, podendo ocorrer ruptura uterina, o que põem em risco a vida do animal.
Os sintomas da piometra tornam-se evidentes geralmente 4 a 10 semanas após o cio, ou em fêmeas que utilizam habitualmente anticoncepcionais. Os sintomas são iguais tanto para cadelas como para gatas. Os sintomas mais comuns são: Corrimento vaginal, perda de apetite ou anorexia, vômitos, febre, depressão, letargia, perda de peso, aumento da ingestão de água (polidipsia) e aumento da produção de urina (poliúria). A septicemia (infecção bacteriana generalizada), a toxemia associadas a uma insuficiência renal podem ser complicações graves podendo levar à desidratação severa, colapso e morte.
O diagnóstico de piometra baseia-se nos sinais clínicos e em alguns exames complementares como análises ao sangue e urina que normalmente são compatíveis com uma infecção e permitem avaliar se outros órgãos foram afetados pela doença. O aumento do útero, que ocorre tanto em piometras abertas ou fechadas, é detectado quer numa radiografia abdominal como numa ecografia.
O tratamento de eleição passa pela remoção da fonte de infecção, ou seja remoção dos ovários e do útero (ovariohisterectomia). Antes da cirurgia é necessária a estabilização do animal (fluidoterapia, antibioterapia endovenosa).

Prevenção
A prevenção desta patologia entre outros procedimentos é a ovariohisterectomia (castração) o mais cedo possível na vida do animal. Apesar da maioria dos casos se manifestar em cadelas a partir dos cinco anos de idade, a piometra pode atingir animais mais jovens. Além disso, por atingir mais cadelas que nunca tiveram cria. Há uma mentalidade errônea que induz as pessoas a cruzar suas cadelas para evitar a doença, mas acasalar a fêmea a fim de prevenir a infecção não é um método garantido. A única prevenção eficaz é realmente a castração. Aliás com ela, pela retirada do útero, eliminamos de vez o risco da piometra e diminuímos também o risco de tumores de mama.

Dr. Masahiko Ohi
Médico Veterinário
 
QUER CASTRAR SEU CÃOZINHO OU GATINHO?

A PROBEM trabalha com a doação de animais castrados e com a educação da população e divulgação sobre a importância da castração de animais como forma de controle populacional e de bem estar dos animais. Caso tenha interesse em castrar seu cãozinho ou gatinho, você pode entrar em contato com a clínica veterinária de sua preferência ou com as organizações não governamentais sediadas em Curitiba que oferecem esse procedimento:

Projeto Focinhos: 8847-2787

Quatro Patas: 3324-9167

Clínica da Sociedade Protetora dos Animais: 3256-8211



Mais Notícias:
19.06.2017 - PESQUISA, PARTICIPE!
01.12.2016 - Como identificar se seu cão está sentindo dor
01.11.2016 - Entenda como ocorre a troca de dentes em cães e gatos
01.10.2016 - Música para ouvidos peludos
01.09.2016 - Por que não consigo treinar meu cachorro?





 

EVENTOS

ver todos

PROJETOS

Divulgação e orientação sobre a castração

Campanha de Identificação

Campanha de Adoção de Animais

ver todos

ACOMPANHE
Assine nossa Newsletter
  
 
Outros canais de informação da Probem:

PROBEM - Associação de Proteção e Bem Estar Animal
Copyright©2016. Todos os direitos reservados - PROBEM 2016